sexta-feira, 25 de outubro de 2019

A SEGURANÇA SOCIAL NA MADEIRA ATRAVÉS DOS TEMPOS

O encontro este semana teve ampla aceitação dos colegas. Tentei através de imagens de pequenas histórias identificar no tempo, a evolução da Segurança Social na Madeira desde os anos 50 do século passado até aos nossos dias. Agendado está para o próximo ano, no dia dedicado à mesma, mais desenvolvimentos sobre o tema. A ver, vamos!

terça-feira, 15 de outubro de 2019

O MEDIDOR DE TEMPO

A minha antiguidade de serviço faz com que ultimamente tenho recebido convites para contar episódios passados ao longo da minha longa carreira profissional. São mais de 45 anos, mais de 12 mudanças de serviço e/ou instalações na sua grande maioria por mudança, extinção do serviço, remodelação etc..
Agora, sinto ser uma espécie de "contador de histórias" que como a amiga Sofia Maul  se dedica a entreter colegas, a contar fatos singulares de muitos episódios passados na Madeira e ou em Lisboa.
Talvez seja o único funcionário vivo neste momento que ainda trabalhou na velha Rua do Castanheiro, no antigo Hotel de Santa Clara, topo de Calçada do mesmo nome onde então existia o Auxíio Materno-Infantil e posteriormente a mudança de instalações, com a fusão com a ex-Caixa de Previdência do Funchal e a constituição do atual Centro de Segurança Social da Madeira. Por vezes a ligação entre a minha vida particular e a laboral, confundem-se no tempo. Talvez a minha senilidade comece a ser um problema! No entanto, por vezes quando olho à minha volta, uma grande fatia de colegas e amigos já não fazem parte do meu circulo de contatos pois infelizmente já partiram. As memórias de uma vida de trabalho, essas como a minha colega Teresa Valério que lançou dois livros de memórias, eu ainda vou resistindo.  

sexta-feira, 4 de outubro de 2019

UM SEGREDO DE DEUS

José Tolentino de Mendonça

Um segredo de Deus

Deus estava cansado de tanta guerra, de tanto ódio, de tanto sofrimento. Resolveu falar com São Pedro, seu discípulo e encarregado do Céu para que lhe desse um momento de alegria, de amizade e carinho. Foi no meio de tanta tristeza, que o seu rosto fechado se abriu levemente deixando transparecer como no retrato de “La Gioconda” um pequeno rasgo de esperança, um leve sorriso.
E sonhou!
Olhou o mapa-mundi.  De olhos semicerrados,  apontou um espaço na grande esfera azul. À primeira vista, pareceu-lhe ser um longínquo espaço vazio no Hemisfério Sul, mas rapidamente concluiu ser terra Argentina. Então, chamou Francisco para seu representante.
Francisco recebeu a notícia e deixou antever um misto de medo e de tristeza, por ver a miséria que o homem criou. No entanto, não desistiu! Após leve meditação, o seu rosto pesado, cansado de tanta luta, tal como o Sol nas Pampas, levemente se iluminou e sorriu. Um sorriso como só ele podia sorrir.
E sonhou!
Também Francisco consultou o mesmo mapa! Ao acaso, apontou para um lugar. Pensou que tinha acertado no azul do Atlântico. Por mero acaso reparou que afinal era um minúsculo pontinho de terra, uma ilha perdida no imenso oceano. Era a Madeira! Do  pequeno cantinho chamou um dia, Tolentino.
E sonhou!
Tolentino recebeu a notícia! Ficou pensativo; taciturno, preocupado por tão alto cargo. Tinha a incumbência de carregar toda a Biblioteca do Vaticano nas suas humildes costas, todo o peso das palavras escritas. Era obra! Como a imensa beleza da Pietá, sentiu que o peso era compensado pela beleza da obra.  Levemente o seu rosto enrubesceu, pareceu até ter ficado ligeiramente envergonhado com tamanha imensidão.
E sorriu!
Por fim, Deus deu por completa a hercúlea obra!  Cansado pôde por fim dormitar um pouco.
Segundo consta, D. José Tolentino de Mendonça estava na Biblioteca do Vaticano pesquisando livros sem fim. Encontrou uma humilde caixa de cartão cheia de lembranças. Dentro, estavam inúmeros objectos antigos, postais de amigos que já partiram, lembranças de santos, velhas receitas etc.. No fundo da dita caixa, um manuscrito amarelecido, letra desenhada a antiga pena, dizia ser o quarto segredo do Mundo.

O resto da história é segredo e não pode ser divulgado, ou deixaria de ser por si só, segredo! Há quem diga ter visto D. Tolentino a rezar e a sorrir, um bom prenúncio para este Mundo. 

CAM - 4/10/2019